Controlando a Fadiga na Atividade Física

Por GSSI – Gatorade Sports Science Institute em parceria com o site Ft.David Homsi

Controlando a Fadiga na Atividade Física

 

A manutenção da força muscular durante o exercício depende da geração de energia química (ATP) por diferentes meios, um dependente de oxigênio e outro não (metabolismo aeróbico e anaeróbico). As reduções dos níveis musculares de ATP, creatinafosfato e glicogênio, além da baixa disponibilidade de glicose no sangue, podem comprometer o desempenho dos músculos esqueléticos. A glicemia baixa também pode afetar as funções desempenhadas pelo sistema nervoso central.

 

A fadiga muscular é um processo multifatorial, que ocorre quando os compostos necessários para produzir o ATP terminam ou quando os subprodutos do metabolismo se acumulam no músculo, incluindo o fosfato inorgânico (Pi), íons de hidrogênio (H+), principalmente ácido lático, amônia (NH3), peróxido de hidrogênio e outras espécies reativas de oxigênio (ROS) e calor.

 

A tabela abaixo mostra alguns fatores metabólicos na fadiga durante eventos esportivos.

 

EVENTO DEPLEÇÃO DE FONTES DE ENERGIA ACÚMULO DE DERIVADOS METABÓLICOS
  ATP PCr CHO P1 H* NH3 ROS CALOR
Corrida de 100 m ** ** * ** ** * * *
Corrida de 400 m ** *** * *** *** ** * *
Corrida de 1500 m * ** * ** *** ** * **
Natação – 1500 m * ** * ** ** * * **
Maratonas, Tour de France e provas de etapas * * *** * * ** *** ***
Esportes do tipo Stop & Go (futebol, tênis e basquetebol) * ** *** * ** ** ** ***
* Improvável **Possível *** Muito Provável

 

 

No entanto, para prevenir a ocorrência de fadiga, devem ser desenvolvidos programas adequados de treinamento e intervenções nutricionais, para garantir a melhoria da capacidade de músculos manterem a produção de ATP.

Estratégias para aumentar a resistência à fadiga

Treinamento. Talvez a melhor estratégia para aumentar a resistência à fadiga seja participar de treinamentos específicos para cada esporte que promovam adaptações que melhoram o desempenho. Essas adaptações a vários tipos de treinamento incluem, entre outros, o aumento da massa muscular, o aumento da síntese de proteínas que transportam compostos energéticos, o aumento da produção de energia por células específicas, maior capacidade de utilizar carboidratos em exercícios de alta intensidade, maior capacidade de oxidação de gordura.

Nutrição. As estratégias nutricionais também são eficazes para melhorar o desempenho nos exercícios. O consumo de refeições ricas em carboidratos para abastecer os músculos com glicogênio melhora o desempenho nos eventos de endurance, com duração igual ou maior a 90 minutos. A ingestão de carboidratos durante os exercícios também melhora o desempenho por agir tanto no cérebro quanto nos músculos, ajudando a manter a função física e mental. Outras práticas nutricionais que também podem modificar os fatores metabólicos associados com a fadiga incluem suplementação dietética de creatina, ingestão de bicarbonato e suplementação de anti-oxidantes. No entanto, a literatura de pesquisas é menos conclusiva sobre essas intervenções, pelo menos no que se refere à suplementação de carboidratos.

 

Fonte: GSSI (Gatorade Sports Science Institute) Brasil

Acesse: http://www.gssi.com.br 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s