Saiba a diferença entre \\\’canelite\\\’ e a fratura por estresse na tíbia

Por David Homsi

David Homsi Fisioterapia – Reabilitação – Ortopedia – Trauma do Esporte

Fisioterapia Esportiva / Reabilitação Ortopédica

Canelite é o nome popular da fratura por estresse na tíbia, que é uma inflamação do principal osso da canela, a tíbia, ou dos tendões e músculos da tíbia, podendo se tornar fratura por estresse. É comum em atletas que praticam corrida, saltos e esportes de impacto.

A canelite nada mais é do que uma inflamação no periósteo (estrutura óssea), onde o osso se torna “inflamado”, que em uma fase mais crônica onde nenhum tratamento foi feito, pode se tornar uma fratura por estresse.

Quais são as causas das canelites:

– Pronação dos pés;
– Prática de esportes em terreno muito rígido;
– Uso de calçados inadequados;
– Fatores genéticos;
– Fraqueza muscular e falta de alongamento muscular.
– Treinamento sem orientação

Como saber se você esta com a chamada canelite:

– Primeiro nos sintomas de dor. Procure um profissional, um médico ortopedista especialista
– Quando a dor se torna incapacitante
– Dor ao toque na região, a canela fica mais sensível ao simples toque do dedo
– Dificuldade em caminhar
– Dor após os treinos

É de extrema importância você comunicar seu treinador quando estas dores aparecerem, uma vez que a inflamação/canelite se tornar fratura por estresse o tratamento se complica. Você precisará parar de treinar e em alguns casos utilizar uma bota/robofoot para não mexer os pés e os músculos da região e assim também diminuir o impacto para iniciar o tratamento.

Tratamento

– Conservador, ou seja, fisioterapia e medicamentoso (quando orientado por um médico); Repouso relativo, dando preferência a exercícios sem impacto (como bicicleta ergométrica), para manutenção do condicionamento físico;
– Exercícios de alongamentos para os músculos da panturrilha; À medida que os sintomas vão regredindo, incluir os exercícios de fortalecimento geral para musculatura da perna (panturrilha, tibial anterior, posterior, fibulares);
– Correção do tipo de pisada do pé, com uso de tênis específico;
– Retorno gradativo ao esporte
– Exercícios de propriocepção
– Gelo 20 minutos de três a quatro vezes ao dia
– Bandagens funcionais – taping

David Homsi é especialista em Fisioterapia Esportiva e Músculo-Esquelética e atende atletas profissionais de corrida e triatlo: http://www.davidhomsi.com.br / @davidhomsi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s