Importância do uso do gelo nas lesões músculo-esquelético

A crioterapia, ou terapia do gelo, ou ainda a utilização do gelo nas lesões é bastante adotada nas afecções traumáticas, principalmente nas lesões músculo-esquelético. Ela pode ser chamada de uma modalidade terapêutica, já que é muito utilizada nas reabilitações e na MEDICINA ESPORTIVA.

A “terapia com gelo” tem como objetivo reduzir a dor, o espasmo muscular, o fluxo sanguíneo local e regional, diminuir o metabolismo, causar uma hipóxia secundária, diminuir o processo inflamatório, e reduzir edemas, dentre outros. O emprego do gelo nas lesões é muito antigo. Dizem que, antes de Cristo, o gelo já era utilizado para “analgesia”.

Mas o que significa crioterapia?

 

Literalmente significa “terapia com frio”, isto é, aplicação terapêutica de qualquer substância no corpo, que remova o calor corporal, diminuindo a temperatura dos tecidos. Sendo assim, todas as técnicas que fazem uso do gelo, tais como: massagem com gelo, crioalongamento, colocação de gelo nas lesões traumáticas e atraumáticas, são chamadas de crioterapia.

Se o gelo for utilizado de forma incorreta, sem o devido conhecimento de seus fenômenos neurofisiológicos, musculares e vasculares, poderá ter consequências indesejáveis no tratamento.

Sabe-se, que para a modulação da intensidade da corrente elétrica, no caso da eletroterapia, ou da intensidade do calor, na termoterapia, temos que ter a sensibilidade cutânea preservada, para que haja um “feedback” sobre o estímulo que está sendo recebido, ou seja, se o que o atleta está sentindo é “forte, fraco ou suportável”.

Segundo G. A. CARVALHO, num trabalho publicado na Revista Brasileira da Ciência e Movimento:

As formas de aplicação da crioterapia mais utilizadas em sua prática diária com atletas profissionais ou amadores, ou mesmo com os chamados “atletas de fim de semana” são: aplicação direta de bolsa de gelo ou gel, massagem com gelo, imersão em água gelada, compressão associada ao gelo e aerosol refrescante.

Atualmente, na busca do retorno do atleta à atividade, em menor prazo de tempo possível e em perfeitas condições físicas, adotou-se o uso de terapias combinadas para o tratamento das lesões agudas e crônicas. Essas terapias têm como objetivos potencializar os resultados dos estímulos físicos sobre os tecidos ao mesmo tempo em que associam diferentes recursos fisioterapêuticos: crioterapia, termoterapia e a eletroterapia.

QUANDO UTILIZO CALOR OU FRIO?

Esta é outra dúvida. Sou muito questionado na prática clínica diária com essas perguntas:

  • Posso utilizar calor assim que ocorre uma lesão?
  • Posso utilizar calor e depois bolsa fria quando torço o tornozelo?
  • Quando recebo uma pancada jogando futebol posso colocar bolsa de água quente?
  • Quando acabo meu treino de corrida, tenho algumas dores musculares. Posso usar gelo ou bolsa de água quente?

Essas questões são extremamente constantes no meu dia-a-dia profissional e as respostas às mesmas são de fundamental importância para o êxito no tratamento.

A aplicação do calor, ou do frio, é um recurso valioso na prática da fisioterapia. As terapias usando o calor (termoterapia) e usando o frio (crioterapia) não levam à cura de nenhuma enfermidade, porém são instrumentos importantes que auxiliam no tratamento de várias patologias ortopédicas e neurológicas. São recursos sintomáticos que, quando aplicados adequadamente, reduzem o espasmo muscular e a sintomatologia dolorosa, preparando a região afetada para a aplicação das técnicas terapêuticas.

UTILIZAÇÃO DO CALOR:

•  Alivia a dor;

•  Aumenta a flexibilidade dos tecidos músculo-tendíneos;

•  Diminui a rigidez das articulações;

•  Melhora o espasmo muscular;

•  Melhora a circulação.

A aplicação do calor promove alteração das propriedades físicas dos tecidos, que compõem os tendões, cápsulas articulares e cicatrizes, melhorando suas respostas ao alongamento.

Contraindicação: Não aquecer regiões do corpo que estiverem anestesiadas, edemaciadas, inflamadas, feridas com sangramento, em áreas onde haja tumores, sobre os testículos, sobre o abdômen de gestantes ou em áreas do corpo de pessoas em estado de inconsciencia.

UTILIZAÇÃO DO GELO: CRIOTERAPIA

•  Diminui o espasmo muscular;

•  Alivia a dor;

•  Nos traumatismos (entorses, contusões, distensões musculares, etc.), previne o edema e diminui as reações inflamatórias;

•  A quantidade de aplicação depende da lesão e do grau da mesma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s